New Horizons revela detalhes do sistema Plutão-Caronte

(com nasa.gov)

Plutão e Caronte em sequência de fotos entre 25 e 31 de janeiro (Fonte: New Horizons - NASA)

Plutão e Caronte em sequência de fotos entre 25 e 31 de janeiro (Fonte: New Horizons – NASA)

A sonda New Horizons foi lançada pela NASA em 19 de janeiro de 2006, com destino ao planeta Plutão. Depois disso, Plutão foi rebaixado a “Planeta-anão” pela União Astronômica Internacional. E agora, nove anos depois, a sonda finalmente está chegando ao seu destino. No dia 14 de julho, a sonda passará a meros 10 mil Km de Plutão e a 27 mil Km da lua do planeta, Caronte. No entanto, a missão já começou e a sonda já tem obtido imagens do sistema planetário.

A imagem ao lado é uma complicação de fotos tiradas pela New Horizons entre 25 e 31 de janeiro, mostrando a rotação de Caronte em torno de Plutão. Nesse compilado de imagens, fica bem clara a peculiaridade desse sistema planetário: como Caronte tem pouco mais da metade do tamanho de Plutão (1207 Km contra 2306 Km de diâmetro equatorial), Plutão não permanece em uma órbita estável. Na prática, os dois objetos orbitam um torno de um ponto vazio. É um caso único no Sistema Solar.

Para Alan Stern, pesquisador do SwRI, em Boulder, Colorado, as imagens capturadas pela New Horizons já colaboram na pesquisa sobre o planeta, uma vez que ajudam a expor a dinâmica de funcionamento das órbitas do sistema planetário. E também ajudam os colaboradores da missão a refinarem seus cálculos para a passagem da sonda pelo planeta, em julho.

À medida que a New Horizons for se aproximando de Plutão, fotos mais detalhadas surgirão. A sonda infelizmente não entrará em órbita do planeta, pois a desaceleração necessária para isso demandaria muito combustível, inviabilizando a missão. A New Horizons viaja, atualmente, a cerca de 50 mil Km/h, depois de ter sido acelerada a 83 mil Km/h em fevereiro de 2007, auxiliada pela gravidade de Júpiter. Nessa passagem, a sonda também coletou informações sobre as luas galileanas do planeta (Io, Europa, Ganímedes e Calisto) Com o decorrer dos anos, a gravidade solar fez com que a sonda perdesse velocidade progressivamente.

A impossibilidade da New Horizons em entrar na órbita de Plutão tem um benefício, porém: após a passagem por Plutão, a New Horizons se deslocará até o Cinturão de Kuiper, onde deve estudar entre um e três objetos com menos de 100 Km de diâmetro, dependendo da quantidade de energia disponível.

Anúncios
Esse post foi publicado em astronomia e marcado , . Guardar link permanente.

Dê sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s